Eu devo cheirar mal… Só isso explica!

Publicado: 24/10/2010 em Uncategorized

Tem coisas que não entram na minha cabeça… Talvez agora fiquem claros os meus posts anteriores sobre amizade.

Eu resolvi falar abertamente sobre o problema porque o que acabou de acontecer foi a gota d’água, o fim da picada, o ó do borogodó!

Eu namorei uma criatura por sete anos… Sem perder mais tempo do que já perdi com essa pessoa, vou me limitar a não tecer qualquer comentário [neste momento] sobre essa experiência traumática na minha vida.

Então, em novembro de 2009, esse ‘namoro’ terminou e eu fiquei meio desorientado, porque tinha entregado minha vida nas mãos dessa criatura, tinha aberto mão de tudo o que eu gostava, dos meus amigos, família, enfim… Tudo em prol da tal criatura. Ela, diga-se só de passagem, fez o mesmo. Mas isso não vem ao caso.

O lance é que quando o namoro terminou, eu fiquei sem chão, sem amigos, afastado de todo mundo [daí o porquê de todas as minhas advertências com relação a se entregar demais a um relacionamento, a não perder a individualidade].

Bom, voltando ao que interessa. Demorei bastante tempo [8 meses] até conseguir me acostumar à minha própria companhia, a curtir ficar sozinho, curtir ser solteiro, e me reaproximar dos amigos outra vez.

Tudo certo até então.

Porém, havia algo errado. Algo que não se encaixava nessa realidade, como se não pertencesse a ela. O problema é que eu não sabia exatamente o que era, mas podia detectar algumas situações nas quais essa distorção do tempo-espaço se fazia presente. Como, a título de exemplo, o fato de alguns amigos sempre combinarem comigo alguns encontros sociais e eles nunca acontecerem.

Na verdade, até hoje ainda não entendi o porquê destes encontros nunca rolarem. No início eu pensava que poderia ser somente um desencontro de informações; depois, talvez uma incompatibilidade de horários; quem sabe uma tentativa de contato frustrada?; possivelmente um esquecimento de me ligar;  essas hipóteses foram gradativamente substituídas até o momento em que comecei a desconfiar de que havia algo mais estranho, que eu não podia tocar [ainda].

Não que essas situações deixem de acontecer. Há mais ou menos uma semana eu soube que dois amigos iriam ao cinema assistir Tropa de Elite 2. Combinei com eles de ir também. Aliás, eu praticamente pedi pra ir junto [olha que derrota]. E o pior, eu ODEIO esse filme! Só queria ir para fazer um social mesmo, para manter contato com os ‘amigos’.

Bom, adivinha o que aconteceu? No dia combinado, fiquei como um jumento dentro de casa, esperando como um otário meu telefone tocar. Nada. Nem código morse meu celular emitiu, quem dirá ondas eletromagnéticas. Pouco depois, descobri que eles foram de fato ao cinema. Informação coletada de fonte segura, confirmada através de jogos mentais minuciosamente arquitetados para induzir as vítimas a revelarem a verdade sem que elas percebessem.

Qual a decisão que tomei para solucionar o problema? Deixei de sofrer com isso. Subtraí os pontos dos dois, rebaixando-os à categoria “conhecidos”. Assim, segui em frente com minha vidinha perturbada tranquila.

Hoje, o [‘fatídico’] dia do meu aniversário, perto da zero hora, recebo uma ligação. Mas que puta que pariu! Era de um dos ‘amigos’. A ligação, como se pode facilmente induzir, era para me ‘felicitar’ pelos cumpleaños. Até então, nada de mal [ficar puto com isso me faria regredir, então, até fiquei feliz].

O foda vem agora.

Eu sou um cara metódico, calculista em certos pontos, chato em vários aspectos, sistemático e também perceptivo. Enquanto era recitada aquela baboseira ordinária sobre “felicidades” e desejos de “saúde e o caralho à quatro”, eu prestava atenção aos sons no fundo da ligação. Eram sons de um barzinho, pelo tilintar dos copos, as pessoas conversando, fazendo pedidos a garçons, enfim. Outras duas vozes eu pude distinguir ao fundo da ligação: um desconhecido, e outra voz do outro ‘amigo’.

Nota: o outro, que estava ao fundo da ligação, havia ligado para minha casa horas antes, para me felicitar. Obviamente, avisou do meu aniversário ao amigo anterior, para que ele me ligasse também.

Porra! Vamos repassar os fatos.

A) Faz quase um ano que eu estou implorando a essas pessoas a quem chamo de ‘amigos’ para saírem comigo, sem sucesso.

B) Há quase uma semana levei um bolo comprovado cientificamente, e pior, na cara dura.

C) Depois do bolo do cinema, todos sumiram ‘misteriosamente’. Até no MSN [marca registrada] quando eu faço logon, um deles faz logoff.

Qual a única conclusão lógica que se pode inferir disso?

R: Eu devo cheirar mal!

Bom, apesar de eu não saber o motivo, realmente tem gente que perde tempo lendo este blog.

Se essas pessoas forem umas das quais lê isso aqui, esse é o motivo pelo qual eu “sumi”, não atendo mais ligações de vocês, não apareço no MSN [porque eu bloqueei vocês], e excluí vocês do Orkut.

Eu não conseguiria me libertar dessa situação ridícula que eu estou vivendo sem escrever sobre a falsidade de ‘determinadas’ amizades aqui.

Até eu mesmo já estou de saco cheio de escrever sobre isso.

Eu tenho uma mente perturbada [como dizia minha mãe]. A única forma de me libertar desses pensamentos é vir aqui e despejá-los no blog.

Essa, no entanto, é a última vez que perco tempo escrevendo sobre falsas amizades, porque tomei a melhor decisão que poderia tomar: me afastar dessas pessoas.

Levei um ano tentando. Ninguém pode dizer que não me esforcei, ou que eu não dou valor às pessoas. Se pensa isso, pense se você aguentaria essa situação tanto tempo.

Então, é isso…

Página virada, falemos de coisas mais interessantes daqui em diante.

Anúncios
comentários
  1. Felype disse:

    Sinceramente adorei este seu blog meu querido, situações parecidas, como página virada, sigo também caminhos assim, PARABENS pelo blog !!!

    • Obrigado!! Esse blog nasceu da necessidade de expressar minhas angústias, pois pessoalmente sou muito introspectivo e vivo engolindo sapos… Pelo menos aqui eu pude mostrar um pouco do que eu penso e compartilhar minhas experiências. Espero ter podido contribuir pelo menos um pouco com o momento que você está vivendo, ainda que seja para rir das poucas e boas porque andei passando…. Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s